Emilia entrará na Justiça
para disputar eleições.

O TRE-PR (Tribunal Regional Eleitoral do Paraná) encaminha amanhã para publicação, no Diário Oficial do Estado, a relação dos partidos, coligações e candidatos que solicitaram registros de candidaturas para as eleições de outubro.

Até ontem, o TRE ainda não havia feito o levantamento do número total de candidaturas apresentadas nas disputas majoritária e proporcional. Os funcionários do setor de registro TRE trabalharam durante todo o dia de ontem na tentativa de fechar a lista, que só será divulgada amanhã. O trabalho continua hoje. Até ontem, dos treze candidatos ao governo, o TRE já havia contabilizado onze registros. Para o Senado, são 14 nomes já confirmados.

Ainda nesta segunda-feira, os candidatos que não tiveram seus pedidos de registro solicitados pelos partidos podem fazer sua inscrição, individualmente, junto à Justiça Eleitoral. Enquanto correm estes prazos, os partidos ainda podem modificar a lista de nomes que apresentaram ao TRE-PR anteontem.

As contestações das candidaturas poderão começar a ser protocoladas na Justiça Eleitoral cinco dias depois da publicação da lista no Diário Oficial. Além dos pedidos de impugnação, a Justiça Eleitoral terá que analisar toda a documentação recebida na sexta-feira antes de divulgar a lista definitiva das candidaturas proporcionais e majoritárias que serão aceitas. A falta de documentos, certidões e o enquadramento de alguns candidatos na Lei de Inelegibilidade – que proíbe o registro de candidatos com pendências judiciais – podem reduzir as listas enviadas ao TRE-PR. Trocas

Uma das modificações que podem ocorrer é na coligação PDT-PPB-PTB. De acordo com versões extra-oficiais, um dos candidatos ao Senado da aliança, o deputado estadual Toni Garcia (PPB), estaria sendo sondado para reforçar a chapa de candidatos à Assembléia Legislativa, ficando a coligação com a candidatura única do senador Osmar Dias (PDT) à reeleição.

A coligação PSDB-PFL-PSL é uma das que ainda discute a alteração das candidaturas majoritárias. A vice-governadora Emilia Belinati (PFL) pretende ingressar com ação na Justiça Eleitoral contra a eliminação de seu nome da chapa. Ela alega que foi vítima de uma manobra interna, depois de ter sua candidatura homologada pela convenção do partido, há uma semana.

Outra mudança possível será na relação de candidatos ao Senado. O deputado federal Rafael Greca – que foi inscrito como candidato a deputado estadual na lista oficial do partido – poderá substituir o candidato Eváldio Androchechen na chapa para o Senado. Androchechen foi indicado pelo PSL. O outro nome da chapa é o deputado federal Luciano Pizzatto. Uma outra alteração que se discutia ontem nos bastidores era a movimentação de um grupo para tentar deslocar Pizzatto para a vaga de vice-governador no lugar do seu sogro, Lubomir Ficinski, que enfrenta problemas de saúde.

Suplente

A lista de candidatos do PMDB também pode ser alterada pelo partido. Os peemedebistas registraram oficialmente o empresário de Curitiba Luis Mussi como o 1º suplente do candidato ao Senado, o ex-governador Paulo Pimentel. Mas, por problemas de ordem burocrática discute-se sua substituição pelo ex-deputado estadual Renato Adur.