Os candidatos que disputam o “terceiro turno” das eleições municipais em Londrina prometeram, e cumpriram, deixar a campanha eleitoral apenas para março, mês da eleição, marcada para o dia 29.

Pois, nesta primeira semana do mês, o candidato do PDT, Barbosa Neto, começou, para valer, sua campanha na cidade. Luiz Carlos Hauly (PSDB), por outro lado, disse que conforme combinado, só começa a pedir votos na próxima terça-feira, dia 10.

“Nossa campanha só começa dia 10, esse foi o combinado. É tempo suficiente para lembrar nossas propostas à população. O adversário acabou antecipando, mas nós só vamos às ruas no dia 10”, disse Hauly.

Apesar de já estar em campanha desde o dia 1.º, quando licenciou-se da Câmara e passou a fazer dois comícios por dia na cidade, Barbosa prepara para amanhã o grande evento de “relançamento” da campanha, com a presença das lideranças dos principais partidos que o apoiam nesta nova disputa.

“Teremos um grande evento regional no sábado, reunindo representantes de mais de 80 cidades que me apoiam. Estarão em Londrina os deputados federais Ricardo Barros (PP) e Ratinho Júnior (PSC), além do senador Osmar Dias (PDT) e do ministro do Planejamento, Paulo Bernardo (PT)”, disse Barbosa.

O pedetista comemorou o apoio de Bernardo a sua candidatura, apesar de o PT de Londrina ter se declarado neutro na disputa. “É um ministro de Londrina. É o homem responsável pelo planejamento do orçamento da União, é quem abre as portas do governo federal para os municípios. Com certeza, seu apoio é muito importante”, comentou. Além das presenças ilustres no sábado, Barbosa também deverá receber o ministro do Trabalho, Carlos Lupi (PDT) no outro sábado, 14.

Hauly também deve contar com apoio de “celebridades” tucanas durante a campanha. O senador Alvaro Dias, o prefeito de Curitiba, Beto Richa e, até, o governador de São Paulo, José Serra, devem aparecer em Londrina nas próximas semanas.

“Mas não estou contando com isso. São meus companheiros e me deixariam muito honrado com a visita, mas essa campanha é de outra natureza, não vamos federalizar nem estadualizar a disputa” disse.

Os candidatos voltaram a comentar o insucesso nas negociações para a substituição do horário eleitoral no rádio e na TV. “O horário eleitoral não pertence a mim para eu abrir mão, é do eleitor. É uma conquista da democracia contra o abuso de poder econômico, pois iguala o candidato”, disse Hauly, descartando acordo para abrir mão de seus dois programas de 10 minutos diários no rádio e na TV. “Eu não queria, mas ele escolheu que vai ter, então vamos gravar nossos programas”, disse Barbosa.

Os deputados federais Luiz Carlos Hauly e Barbosa Neto disputam novo segundo turno em Londrina devido à cassação do registro de candidatura de Antonio Belinati (PP), vencedor das eleições em outubro do ano passado.