Estocolmo (Suécia) – Depois de andar de carruagem, na chegada a Estocolmo, o presidente Luiz Inacio Lula da Silva conheceu nesta quarta-feira (12) o ônibus produzido pela Scania, movido a etanol importado do Brasil. O trajeto pelas ruas da capital,  acompanhado por batedores da polícia, durou cerca de 10 minutos.

Ao desembarcar em frente ao Instituto Real de Tecnología, o presidente brincou com os jornalistas: ?Quero ver vocês colocarem aí na matéria: 600 ônibus como esse circulam na Suécia?, disse, apontando para o painel frontal do veículo que trazia no letreiro a frase ?etanol brasileiro?.

O órgão gestor do transporte publico de Estocolmo planeja substituir a frota que ainda opera com diesel por veículos a etanol ate 2020. Segundo a Scania, são 2.000 ônibus no total.

Ao discursar para pesquisadores, o presidente voltou a comemorar o acordo celebrado no dia anterior, que prevê a pesquisa de novos combustíveis.

?No momento em que a comunidade internacional  discute saídas para a degradação ambiental, os altos preços do petróleo e o agravamento da miséria em países do sul, a Suécia e o Brasil podem promover soluções inovadoras no campo dos biocombustíveis?.

Lula aproveitou a oportunidade para reivindicar um tratamento mais justo da União Européia, no que se refere às negociações do biodiesel. ?A imposição européia de tarifas que oneram em ate 55% o etanol brasileiro é um exemplo dessa distorção?.

O Instituto Real de Tecnologia da Suécia é um centro de excelência e tem em seus quadros cerca de 1.500 pesquisadores suecos e 1.500 estrangeiros de 100 nacionalidades.