Após passar o dia reunido com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na sala onde o ex-presidente está preso, na superintendência da Polícia Federal do Paraná, o advogado do petista, Cristiano Zanin Martins informou, nesta segunda-feira (30), que Lula reafirmou sua posição de não aceitar a progressão do regime de prisão para o semi-aberto, como reivindica o Ministério Público Federal.

Zanin disse que Lula não aceita nenhuma barganha em relação a sua liberdade, porque não reconhece a legitimidade do processo e da condenação que foi imposta a ele pelo ex-juiz Sergio Moro. E leu uma carta escrita pelo ex-presidente.

Confira a íntegra da carta

“Ao povo brasileiro:

Não troco minha dignidade pela minha liberdade.

Tudo que os procuradores da Lava Jato deveriam fazer era pedir desculpas ao povo brasileiro, aos milhões de desempregados e à minha família, pelo mal que fizeram à democracia, à Justiça e ao país

Quero que saibam que não aceito barganhar meus direitos e minha liberdade. Já demonstrei que são falsas as acusações que fizeram. São eles e não eu que estão presos às mentiras que contaram ao Brasil e ao Mundo.

Tenho plena consciência das decisões que tomei nesse processo e não descansarei enquanto a verdade e a Justiça não voltarem a prevalecer”.

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Zanin disse que a defesa ainda não recebeu nenhuma intimação da Justiça para se manifestar sobre o requerimento feito pelos procuradores da Lava Jato, mas que, assim que intimada, fará a manifestação seguindo a orientação de seu cliente. O advogado não antecipou como pretende agir caso a Justiça atenda ao pedido do MPF e determine a progressão do regime de Lula.

Policial Militar é baleado ao ajudar a cumprir ordem judicial na RMC