O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou, na noite desta sexta-feira que, ao contrário do que “estão dizendo”, ele está bem de saúde. “Andaram dizendo que meu câncer voltou”, disse, ao comentar que faria exames em São Paulo. “Preciso provar que não vou morrer com a pressa que eles desejam”, afirmou o ex-presidente em evento do PT, em Bauru (SP).

Lula, que falou após discursos de outros petistas como o ministro da saúde, Alexandre Padilha, e o secretário-geral da Presidência, Gilberto Carvalho, comentou rumores da candidatura de Padilha ao governo paulista. “Gilberto ficou com todo cuidado para dizer que o companheiro Padilha não é candidato, mas na hora que ele (Padilha) pegou a palavra, ele falou como candidato”, disse. O ex-presidente explicou o motivo da cautela em oficializar a candidatura do petista.

“Nós temos que entender as razões dele e da presidente Dilma. Ele (Padilha) apresentou à nação brasileira um programa (Mais Médicos) para recuperar a saúde do País, que está no Congresso”, citou. Para Lula, Padilha não pode deixar o ministério sem conseguir aprovar o projeto. “Ele não vai sair de fininho. Ele vai ter que ficar até aprovar.”

Dirigindo-se ao ministro, Lula afirmou que “agora você vai ter que aprovar o Mais Médicos”. “Queremos na verdade é mais Padilha na saúde, e mais Dilma na Presidência”, afirmou.

As declarações do ex-presidente foram dadas durante o 3º Encontro do Interior – Para São Paulo Crescer com o Brasil, organizado pelo PT na cidade de Bauru, na região noroeste do Estado de São Paulo.