O presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a defender nesta quinta-feira (14) a contratação de servidores no Serviço Público Federal. Em discurso durante a inauguração de uma agência da Previdência Social em São Paulo, Lula afirmou que a admissão de novos profissionais é necessária para melhoria na qualidade do atendimento. "É preciso acabar com a visão de que o funcionário público ganha bem. Na hora em que a economia começa a melhorar é preciso fazer a nossa parte e remunerar melhor para poder cobrar", declarou.

Segundo o presidente, durante seu governo foram criadas 214 novas escolas técnicas e dez universidades federais. "Como fazer isso sem contratar mais professores e funcionários administrativos?" O presidente reclamou do tratamento dado pela imprensa, que o acusa de inchar a máquina pública. Lula mencionou o exemplo de um funcionário da Petrobras que ganhava um salário de R$ 26 mil e acabou deixando a estatal para ganhar R$ 200 mil na iniciativa privada. "Ele deixou de ser um marajá para se tornar um funcionário eficiente.

Sobre o fim da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), o presidente disse apenas que a derrota do governo no Senado não afetará os investimentos em urbanização de favelas previstos no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) estimados em R$ 40 bilhões. Lula deixou o prédio da nova agência da Previdência Social sem falar com os jornalistas.