O sócio-fundador do Grupo Opportunity, Daniel Dantas, teve recursos bloqueados em Luxemburgo. A medida não alcançou todos os ativos que teriam sido depositados em instituição bancária daquele país. Antes que o congelamento fosse efetuado, a maior parte do dinheiro havia sido movimentada. O advogado Andrei Zenkner Schmidt, que defende Dantas, disse que não foi informado sobre o episódio.

O cerco no exterior a valores de Dantas e do Banco Opportunity está sendo executado pelo Ministério da Justiça a partir de solicitação da Procuradoria da República e da Justiça Federal no curso da Operação Satiagraha – investigação sobre suposto esquema de evasão de divisas e lavagem de dinheiro.

Na semana passada, os Estados Unidos decidiram restabelecer bloqueio de cerca de US$ 450 milhões do banqueiro. A imobilização do dinheiro vale até 14 de maio. Para manter o embargo, o Brasil deverá apresentar às autoridades americanas conclusão do inquérito e denúncia criminal contra Dantas. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.