Poucos políticos locais e alguns líderes sindicais participaram dos protestos em Bauru, interior de São Paulo, que terminou por volta das 11h30. A manifestação foi a menor das três realizadas em Bauru; em 15 de março foram 12 mil pessoas; e 12 de abril, 7 mil. Nenhuma ocorrência grave foi registrada, segundo o serviço do Copom da PM.

Hoje, os organizadores dos protestos usaram a Marcha da Família, uma passeata promovida pela Igreja Católica, para engrossar a manifestação. De acordo com a Polícia Militar, cerca de 4 mil pessoas participaram dos protestos, mas em determinado trecho da passeata, que saiu às 9h30 da avenida Getúlio Vargas, a multidão triplicou para 12 mil pessoas. Isso porque os manifestantes se juntaram com outras 8 mil pessoas que participavam da Marcha da Família e faziam o mesmo percurso pela avenida. No entanto, o grupo se separou na praça Portugal, onde os manifestantes se concentraram e discursaram pedindo o impeachment e a renúncia da presidente Dilma Rousseff, e apoio às operações da Lava Jato.