Foto: Arquivo/O Estado

Donin: diversas ações civis.

A manifestação realizada em defesa do ex-prefeito e vice-candidato na chapa de Osmar Dias, Derli Donin (PP), na Câmara de Toledo na segunda-feira, 16, transformou-se numa confusão que terminou por suspender a sessão plenária. No início da sessão, assim que o vereador Paulo Santos (PT) começou a falar, foi vaiado. Assessores de Santos, do vereador Valtair Apolinário (PT) e manifestantes, discutiram, trocaram empurrões e algumas agressões.

?Chegaram a ir a meu gabinete para me ameaçar, chutaram minha cadeira. Três estudantes de sociologia que acompanhavam a sessão na Câmara foram agredidos, assim como o meu assessor e Apolinário?, disse. O motivo, segundo Santos, é que ele aparece na propaganda eleitoral do candidato à reeleição Roberto Requião (PMDB), contando que uma CPI na Câmara deu origem à nove ações civis públicas encampadas pelo Ministério Público Estadual contra Donin.

?Tenho direito de manifestar das minhas posições?, disse o vereador. Segundo Santos, participaram cerca de 150 pessoas, entre elas o prefeito da cidade, José Schiavinato (PP) e o vice, Lúcio De Marchi, assim como o presidente estadual do PP, Dilceu Sperafico.

O Secretário de Comunicação da prefeitura, Lourival Neves Júnior disse que o prefeito foi à Câmara manifestar apoio à lideranças sindicais e agrícolas que mostraram solidariedade a Donin. ?As declarações que os vereadores do PT deram ficou ruim para a cidade, por isso o prefeito entendeu que deveria ser solidário. A maioria das acusações são questionamentos levantados pelo PT?, disse. A assessoria de Osmar informou que a manifestação era de repúdio às declarações dos vereadores petistas no programa eleitoral, que nunca teriam feito nada por Toledo, ao contrário da administração de Donin.