A marcha promovida pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) entre as duas maiores cidades da Bahia, Feira de Santana e a capital, Salvador, foi concluída na manhã desta terça-feira, 17. A mobilização faz parte da Jornada Nacional de Luta pela Reforma Agrária, promovida anualmente pelo MST em vários Estados brasileiros.

Os cerca de 6 mil participantes, que iniciaram a caminhada de 110 quilômetros há uma semana, chegaram ao Centro Administrativo da Bahia às 10 horas. Com o bloqueio parcial feito pelos sem-terra nas Avenidas Antônio Carlos Magalhães e Paralela, duas das mais movimentadas de Salvador, o trânsito de boa parte das vias da cidade ficou travado durante a manhã.

Os integrantes do movimento montaram acampamento na frente da sede do Incra na capital baiana e, à tarde, as lideranças foram recebidas pelo governador Rui Costa (PT). Uma pauta de reivindicações, que inclui pedidos de melhorias nos assentamentos, de mais investimentos na agricultura familiar e a criação de territórios livres de latifúndio no Estado, foi entregue ao governador.

Segundo o líder do MST no Sul da Bahia, Evanildo Costa, o governo tem se mostrado receptivo às reivindicações e o acampamento pode ser desfeito já nesta quarta-feira, 18, a depender dos avanços nas negociações.