O deputado federal eleito Elieser Girão Monteiro (PSL-RN), que é general da reserva, se disse “indignado” e “perplexo” com a decisão do ministro Marco Aurélio Mello que beneficia presos condenados em segunda instância. A medida que poderá beneficiar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi classificada como uma “absurda decisão monocrática” por Girão Monteiro.

“O STF parece que não quer ouvir os gritos das ruas. Isso só serve para desestabilizar o País às vésperas da posse de Jair Bolsonaro”, disse. “Acredito que no Supremo existem juízes que respeitam a população brasileira, independentemente da interpretação que Marco Aurélio e outros advogados queiram dar. Eles estão brincando de legislar”, disse.

“Será que vamos ter de ter uma revolução para acabar com isso? Estamos conseguindo mudar o Brasil pelas urnas democraticamente. Será que vamos ter de ter uma revolução para colocar para fora pessoas que teimam em não entender a importância de uma democracia?”, questionou em entrevista à reportagem, após ser diplomado pela sua eleição a deputado federal.