Foto: Elza Fiuza/Agência Brasil

Marcos Valério, ao chegar para depor na Polícia Federal: "Não conheço Dimas, nunca prestei serviços a Furnas".

O empresário Marcos Valério de Souza, acusado de ser o operador do suposto mensalão, esquema de pagamento de mesadas a políticos, acabou de prestar novo depoimento à Polícia Federal.

Depois de mais de duas horas de depoimento, Marcos Valério disse que ratificou os depoimentos anteriores e negou que tenha sido um dos financiadores do caixa 2 de Furnas, que teria financiado as campanhas de 156 políticos de diversos partidos, em 2002.

Marcos Valério disse que não conhece Dimas Toledo, ex-diretor de Furnas, que supostamente teria coordenado a coleta de dinheiro junto a fornecedores da estatal, para a distribuição aos políticos e que nenhuma de suas empresas prestou serviços a Furnas.

"Só agora tomei conhecimento dessa lista (de agraciados que teriam sido contemplados com o caixa 2). Não conheço Dimas, nunca prestei serviços a Furnas e não tenho nada a esclarecer a respeito disso. E por isso não posso dizer se a lista é autêntica ou não", afirmou.

Este foi último interrogatório feito pela Polícia Federal, antes do encaminhamento do relatório final de investigação ao Supremo Tribunal Federal. O prazo de envio do relatório vence na sexta-feira da próxima semana.