O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Curitiba apresentou, na segunda-feira (20), recurso de apelação à decisão da 9.ª Vara Criminal de Curitiba, que condenou o ex-diretor-geral da Assembléia Legislativa do Paraná Abib Miguel (Bibinho) à pena de 18 anos, 11 meses e 20 dias em regime fechado pelos crimes de peculato, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro, além de multa. A decisão, publicada no último dia 9, absolveu o ex-diretor da acusação de falsidade ideológica.

A pretensão do Ministério Público, com a apelação, é rediscutir a absolvição por falsidade ideológica e aumentar a pena. O recurso do MP-PR será analisado pelo Tribunal de Justiça.

“Bibinho” é um dos principais “personagens” no caso “Diários Secretos”, em que uma série de reportagens da RPC TV e do jornal Gazeta do Povo denunciou, em maio de 2010, um grande esquema de desvio de dinheiro na Assembleia, por meio da contratação de funcionários fantasmas.As reportagens instigaram o MP-PR que passou a investigar o caso.

Além dos crimes pelos quais foi condenado, Miguel responde também por outra denúncia criminal, envolvendo outro grupo que supostamente se beneficiava do mesmo esquema fraudulento.  O MP-PR precisou segmentar a denúncia por conta do grande número de pessoas que estava envolvido no caso.