A Promotoria de Justiça de Palmital, na região central do Estado, apresentou ontem ação penal contra nove pessoas pelos crimes de fraude de licitação, formação de quadrilha, falsidade ideológica e uso de documento falso.

De acordo com a denúncia do Ministério Público, todos estariam envolvidos em um esquema de fraude em licitação para a compra de materiais de construção que onerou os cofres municipais em R$ 86.085,17.

Entre os denunciados, está o irmão do prefeito da cidade, Paulo César Zolandeck, que é apontado pelo Ministério Público do Paraná como líder do grupo que lesava os cofres públicos do município.

O promotor de justiça Lucas Junqueira Bruzadelli Macedo explica que, somadas as penas pelos quatro crimes citados na ação, os denunciados podem ser condenados a até 15 anos de prisão.

Além de Zolandeck, são citados na denúncia do Ministério Público Miguel Fernandes de Almeida, Joarez Godoy de Lima, Maridelma Magalhães Pietrobom Mariot, Wilson Rodrigues dos Santos (vulgo “Baitaca”), James Eli de Oliveira, Antônio de Souza Coimbra Filho, Edes Luiz Machado dos Santos e João Menik.

Todos também são requeridos em ação civil pública proposta pelo Ministério Público em junho, por ato de improbidade administrativa, pelo mesmo esquema apresentada na denúncia.

Nesse caso, a Promotoria busca, entre outros pontos, a responsabilização cível dos envolvidos, além da devolução aos cofres do município, em dobro, do valor que teria sido desviado pelas pessoas acusadas.