O ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos, Roberto Mangabeira Unger, participou na tarde de quarta-feira (27), em São Paulo, de reunião com oficiais das três Forças Armadas para discutir o novo Plano de Estratégia Nacional e Defesa, que está em elaboração desde o ano passado.

“Prometemos entregá-lo ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva no dia 7 de setembro deste ano”, disse Mangabeira. O plano, adiantou, conterá diretrizes de curto, médio e longo prazos. “É uma proposta arrojada e abrangente, que é necessária caso o Brasil queira ser um grande país.

Mangabeira também afirmou que as propostas do plano não têm relação alguma com a Quarta Frota americana, que foi reativada depois de 60 anos e voltou a atuar na América Latina. “Não estamos preocupados com isso e sim com a defesa do nosso país”, ressaltou.

Apesar de não se envolver em conflitos armados de qualquer espécie, o Brasil precisa aprender a se defender, afirmou Mangabeira. “Uma das propostas é aumentar o valor de investimento das Forças armadas, que hoje é 1,5% do nosso PIB [Produto Interno Bruto]”.

Para Mangabeira, é fundamental criar uma indústria nacional de defesa, em parceria com a iniciativa privada. “Mas algumas áreas devem ser exclusivas do Estado, como as de pesquisas e de produção avançada.