A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, disse que o governo não fará uma “guerra” com o Judiciário. Mas considerou não apropriado o pedido de reajuste dos servidores. Ontem, o governo enviou uma comitiva de ministros ao Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar amansar o presidente da Corte, Cezar Peluso.

Guido Mantega (Fazenda), Miriam Belchior, José Eduardo Cardozo (Justiça) e Luis Inácio Adams (Advocacia Geral da União) estiveram na sede do Supremo para comunicar a Peluso que o Orçamento de 2012 não contemplará todos os pedidos do Poder Judiciário. A ministra confirmou hoje que a proposta de lei orçamentária de 2012 não contempla uma das principais reivindicações do Judiciário, que é um aumento de 14,79% no salário dos ministros do STF.

O valor atual, de R$ 26,7 mil, passaria para R$ 30,6 mil. O reajuste teria grande impacto nas contas porque a remuneração dos integrantes do Supremo é o teto do funcionalismo público. Toda vez que o valor sobe ocorrem aumentos em cascata pelo menos no Judiciário.