Ex-secretário de Segurança do primeiro governo de Roberto Requião (PMDB), o delegado aposentado da Polícia Federal, Moacir Favetti, está de volta ao governo. Ele assume a Secretaria de Justiça na próxima segunda-feira, a convite do governador Orlando Pessuti (PMDB). Favetti entra no lugar de Jair Ramos Braga, que foi chamado por Requião. Braga deve ocupar uma assessoria especial do governador. Oficialmente, a justificativa para a troca é um remanejamento da equipe, como têm sido chamadas todas as mudanças que Pessuti fez no governo desde abril, quando assumiu o cargo, no lugar de Requião que renunciou para concorrer ao Senado.

Favetti comandou a área de segurança entre 1990 e 1994. Depois, chegou a ser superintendente da Polícia Federal no Paraná. Nos últimos anos, o delegado se dedicou à música. Junto com os irmãos Guego e Tita, formou o Trio D Favetti, que se apresentava em Curitiba com um repertório de música popular brasileira. Em 2005, os irmãos Favetti lançaram o primeiro CD – “Arretirança”, onde mesclaram músicas inéditas de compositores paranaenses com clássicos do cancioneiro popular brasileiro.

Favetti tem uma porta de entrada no Ministério da Justiça. Seu filho, Rafael Thomaz Favetti, assumiu este ano a Secretaria Executiva do Ministério da Justiça.

Cortes

O governador Orlando Pessuti pediu o cargo da presidente do Programa do Voluntariado Paranaense (Provopar), Lucia Arruda, irmã de Requião. Lucia, entretanto, permaneceu no cargo. Sua indicação é feita por um conselho que administra o Provopar, transformado em Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip). Como não tem a prerrogativa de demitir Lucia Arruda, Pessuti determinou a suspensão de um convênio entre o Detran e o Provopar, que rendia à entidade cerca de R$ 3 milhões anuais. Os recursos arrecadados com as taxas cobradas pelo Detran para o fornecimento de placas de carros personalizadas eram repassados ao Provopar. Mesmo sem a verba, Lucia já avisou que não deixa o Provopar e que tem caixa suficiente para levar adiante os projetos da entidade.

Em curso

Desde abril, Pessuti já trocou vários integrantes da equipe deixada por antecessor, Roberto Requião. No primeiro escalão, Pessuti substituiu os ex-secretários de Segurança Luiz Fernando Delazari, de Transportes, Rogério Tizzot, de Comunicação, Benedito Pires, o ex-presidente da Copel Rubens Ghilardi, Samuel Guimarães, da Sanepar, Stênio Jacob, o ex-chefe do escritório de representação do Paraná em Brasília Eduardo Requião, o ex-superintendente do Porto de Paranaguá Daniel Lucio de Oliveira. Também foi demitido o ex-presidente da Ferroeste Samuel Guimarães e alguns diretores. Outros optaram por tomar a iniciativa de deixar o cargo. Entre eles, o ex-ouvidor geral Luiz Carlos Delazari e o ex-procurador geral do Estado Carlos Frederico Marés.