O Ministério Público do Distrito Federal determinou a abertura de novo inquérito para investigar Luiz Felipe Denucci, ex-presidente da Casa da Moeda. Ele será investigado pela Polícia Federal por suspeita de cobrança de propina no órgão e pelo envio de US$ 25 milhões a offshores no exterior. Denucci já é alvo de outro inquérito da PF no Rio de Janeiro por suspeita de lavagem de dinheiro.

A nova investigação contra o ex-presidente da Casa da Moeda foi provocada pelo líder do PPS, Rubens Bueno (PR). A decisão do MP-DF foi comunicada ao parlamentar por meio de um ofício assinado pelo procurador José Diogenes Teixeira. No ofício, Teixeira informa que foi requisitada a abertura de inquérito para a “cabal apuração do fato”.

Segundo nota do PPS, a representação que deu origem a abertura de inquérito teve como base denúncias publicadas pela imprensa, “que apontam fortes indícios de que a operação clandestina foi mesmo executada por Denucci”, Além disso, ressalta a nota, “mesmo alertado no início de 2011, sobre as suspeitas contra o economista, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, o manteve no cargo até o final de janeiro”.