Apesar de anunciar neutralidade oficial, o PV da Bahia entrou na campanha de Dilma Rousseff (PT) para a Presidência na última semana antes do pleito. Uma reunião realizada hoje, em Salvador, entre a direção do partido e as lideranças petistas no Estado, ratificou a posição do partido no Estado e definiu as ações de campanha envolvendo os verdes.

Segundo o presidente estadual da legenda, Ivanilson Gomes, o apoio dos integrantes do PV na Bahia e a participação ativa dos líderes do partido nos eventos pró-Dilma foram definidos pela maioria dos diretores da legenda no Estado – 12 dos 17 anunciaram apoio à candidatura petista, enquanto quatro pregaram a neutralidade e apenas um, o candidato derrotado do PV ao governo, Luiz Bassuma, assumiu apoio a José Serra (PSDB).

De acordo com o candidato derrotado do partido ao Senado, deputado Edson Duarte, foi a pressão dos integrantes do PV na Bahia e no Maranhão que impediu a direção nacional da legenda de anunciar apoio formal à candidatura de Serra no segundo turno, defendida pelos diretórios do partido em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. “Conseguimos neutralizar a tendência e aprovar a liberação dos votos”, afirmou, no evento. “Na maioria dos Estados, o partido está com Dilma.”

Na reunião, ficou acertada a participação de lideranças do PV nos eventos que a candidatura petista vai promover na Bahia até o fim da campanha. Amanhã, por exemplo, os verdes devem participar da carreata e do comício em Vitória da Conquista, no sudoeste baiano, que contarão com a presença de Dilma.

A expectativa da direção petista no Estado é fazer com que o apoio do PV consiga reverter a vantagem obtida por Serra no primeiro turno no município, o terceiro maior colégio eleitoral baiano, atrás apenas de Salvador e Feira de Santana. Na votação de 3 de outubro, o tucano recebeu 41% dos votos na cidade, e Dilma, 39%.