Em meio a rumores de que a senadora Marta Suplicy se filiaria ao PMDB para se candidatar à Prefeitura de São Paulo, o secretário municipal de Educação e presidente do diretório municipal da sigla, Gabriel Chalita, disse na manhã desta sexta-feira, 31, não ter sido procurado pela ex-petista e destacou que o partido já tem outras lideranças interessadas no pleito.

“Não há nem por parte da executiva nacional do PMDB, nem da executiva estadual nem da municipal, nenhuma disposição de oferecer o partido para uma pessoa que venha para ser candidato. O PMDB não é uma legenda que vem uma pessoa e fala ‘me dá e eu serei o candidato”, disse Chalita.

Segundo ele, Marta tem proximidade com senadores do PMDB, mas não com a Executiva. O secretário disse que conversou com o presidente estadual do partido, Baleia Rossi, que também negou ter sido procurado.

Chalita elogiou a senadora, afirmando que é uma mulher com “ampla lista de serviços prestados à população” e “uma política muito respeitada”. Mas pontuou que, se de fato houver disposição de filiação da ex-petista, as lideranças vão “esclarecer o processo que há dentro do partido”.

“Se fosse ser ela (a candidata), teria que participar de uma convenção. E há outros nomes, há outras liderenças do PMDB”, afirmou o presidente municipal da legenda. Chalita citou o próprio nome, além de Paulo Skaf, Jorge Caruso e Alexandre de Moraes.