O grupo de peemedebistas pró-aliança fechou acordo ontem para indicar o secretário especial de Assuntos Estratégicos, Nizan Pereira, para ser candidato a vice-prefeito na composição eleitoral que está sendo negociada com o PT.

O nome de Nizan foi decidido em reunião no início da noite na casa do secretário estadual da Educação, Maurício Requião. Hoje, Nizan se reúne com o governador Roberto Requião (PMDB) para oficializar seu afastamento do cargo. Amanhã, termina o prazo de desincompatibilização de ocupantes de cargos do Executivo que pretendem concorrer às eleições municipais de outubro.

Até o início da tarde, Nizan Pereira e o deputado estadual Vanderlei Iensen eram os “finalistas” da relação de pré-candidatos que a direção municipal do PMDB, representada pelo grupo pró-aliança com o PT, vinha discutindo para oferecer à coligação na chapa encabeçada pelo deputado estadual Ângelo Vanhoni. Após o encontro na casa de Maurício, o deputado peemedebista abriu mão em favor de Nizan. “Ele tem uma história mais antiga no PMDB e tem mais condições de unir o partido. Nós já temos esse problema com o grupo que defende a candidatura própria e ele (Nizan) tem mais condições de agregar”, justificou Iensen.

O Estado apurou que durante a manhã Nizan já havia conversado com o governador Roberto Requião sobre a candidatura a vice. O governador não se pronunciou sobre o assunto e, segundo seus interlocutores, somente irá se manifestar após a convenção municipal do partido, marcada para o próximo dia 15.

Inicialmente, integravam a lista o secretário da Saúde, Cláudio Xavier, e o presidente da Cohapar, Luiz Cláudio Romanelli. O secretário da Saúde foi considerado “verde” demais no partido – ele se filiou pouco antes de entrar no governo – e Romanelli não quis levar adiante o projeto.

Na noite de ontem, também estava agendada uma reunião do deputado estadual Ângelo Vanhoni (PT) com a direção municipal do PMDB. Eles iriam conversar sobre a indicação do candidato a vice, apesar de Vanhoni declarar que não irá interferir na escolha. Também estavam convidados a participar da conversa representantes de outros partidos que pretendem se coligar com o PMDB e PT.

Resistência

Ontem, o deputado federal Gustavo Fruet, pré-candidato do PMDB à prefeitura, solicitou formalmente ao partido informações sobre a realização da convenção. Ele encaminhou ao presidente do diretório municipal do PMDB, requisitando esclarecimentos sobre a data e local da convenção, qual a composição do colégio eleitoral e como vai se dar o processo de votação: se em cédula única, contemplando as possibilidades de coligação e candidatura própria, já com os nomes dos pré-candidatos, ou em duas etapas.