Pesquisa feita pelo Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe), a pedido da direção nacional do PSDB, mostra que se o candidato do partido ao governo fosse o senador Alvaro Dias, ele venceria as eleições com 39% dos votos.

Em segundo lugar, estaria o senador Osmar Dias (PDT), com 31%, seguido pelo vice-governador Orlando Pessuti (PMDB) com 8% e o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo (PT), com 5%.

Com os mesmos adversários, quando o candidato do PSDB é o prefeito de Curitiba, Beto Richa, há empate técnico entre o tucano e o senador Osmar Dias. O senador pedetista tem 38% das intenções de votos e o prefeito de Curitiba alcança 36%.

Quando Beto é o candidato, o vice-governador Orlando Pessuti tem 7% e o ministro Paulo Bernardo mantém 5%. O Instituto entrevistou oitocentas pessoas, entre 1 e 4 deste mês, distribuídos da seguinte forma: 68 no interior do estado e 32 em Curitiba e Região Metropolitana.

A margem de confiança da pesquisa é de 95,5%. No primeiro cenário, entre Alvaro e Osmar, 8% votariam branco ou nulo e 10% não souberam responder. Na disputa em que está o prefeito de Curitiba, os votos brancos e nulos somam 7%. Os indefinidos são 8%.

Entre cidades

As intenções de votos do senador Alvaro Dias na Região Metropolitana de Curitiba atingem 45%, contra 23% do senador Osmar Dias, 5% de Pessuti e 4% do ministro do Planejamento.

No segundo cenário, o prefeito de Curitiba teria 52% na Região Metropolitana de Curitiba e o senador Osmar Dias chega a 25%. Pessuti aparece com 4% e Bernardo detém 3%, na Região Metropolitana da capital.

Na primeira simulação, em que os adversários são os irmãos Dias, e a pesquisa se concentra no interior do Estado, os dois ficam tecnicamente empatados. O tucano aparece com 36% e o pedetista ostenta 34%. Pessuti sobe para 8% nos municípios do interior e Paulo Bernardo vai a 6%.

Se o prefeito de Curitiba é o candidato do PSDB, a situação se inverte no interior. O senador Osmar Dias assume a liderança com 43% contra 28% de Beto. Pessuti chega a 9% e Paulo Bernardo se mantém em 6%.

O Instituto avaliou a rejeição dos pré-candidatos ao governo. Os eleitores que declararam “não votar de jeito nenhum” em Alvaro somaram 17%. No prefeito Beto Richa, 19% declararam “não votar de jeito nenhum”. O índice do senador Osmar Dias foi de 18%. O ministro Paulo Bernardo tem 17% e o vice-governador Orlando Pessuti aparece com 25%.

Entre as inúmeras simulações feitas pela pesquisa, está a que pergunta aos eleitores quem seria o melhor candidato do PSDB para as eleições, mesmo que o entrevistado não votasse nem em Alvaro nem em Beto. O resultado é o seguinte: 51% acham que Alvaro é melhor, contra 38% que indicou o prefeito Beto Richa.

A nova pesquisa foi encomendada pelo diretório nacional depois que Alvaro questionou sondagem anterior sobre a sucessão estadual e que também foi feita a pedido da cúpula nacional.

De acordo com os números que vazaram para a imprensa do Paraná, na pesquisa da Vox Populi, realizada entre 10 e 18 de julho, Beto Richa aparecia com 34% das intenções de votos contra o senador Osmar Dias que obtinha 32%, enquanto que Alvaro aparecia com 19%, quando o adversário era o pedetista. A sondagem da Vox Populi foi feita também com 800 eleitores, mas apenas em 49 municípios.