O senador Magno Malta (PR-ES) chegou para a reunião da Mesa do Senado defendendo que não haja recurso à decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, que autorizou o acesso de deputados à sessão secreta no Senado que vai definir o destino político do presidente da Casa, Renan Calheiros. "O voto é secreto. Mas a sessão não precisa ser secreta. Vamos cumprir a decisão e votar esse negócio", disse Malta. Ele afirmou ainda que adiar a sessão para a tarde é protelar mais a decisão. "O clima já está ruim de respirar em Brasília, por causa do ar seco e agora junta tudo", disse.