Oito Estados não atingiram a meta de imunizar 80% do público-alvo -idosos, crianças, gestantes, profissionais de saúde e populações indígenas- na campanha de vacinação contra a gripe, de acordo com o balanço do Ministério da Saúde.
Roraima, Bahia, Ceará, Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul imunizaram entre 61,68% e 78,63% da população destinada.

Em todo o país, o número de pessoas que receberam a vacina passou de 24,12 milhões, chegando a 80% do grupo prioritário.

A maior adesão foi entre os trabalhadores de saúde. A campanha atingiu a taxa de 99,69% dessa categoria, o que representa mais de 2,4 milhões de profissionais vacinados. As crianças respondem pela segunda maior adesão à campanha de vacinação, com o cumprimento de 86,83% da população alvo em todo o país, o que representa mais de 3,7 milhões.

Na sequência, 16 milhões de idosos tomaram a vacina, (77,79%). A população indígena, que é vacinada nas próprias aldeias, atingiu 77,1%, com 452,4 mil doses aplicadas.

O índice entre as gestantes, no entanto, foi o menor, com 71,4% (1,5 milhões de doses aplicadas). As futuras mães poderão procurar um posto de saúde para tomar a vacina até final de agosto, de acordo com o Ministério. Este público foi o mais suscetível ao vírus da gripe durante a pandemia de 2009.
A vacina é segura e protege contra os três principais vírus que circulam no hemisfério sul no ano anterior, entre eles o da influenza A (H1N1).