A bancada de oposição na Assembleia Legislativa entrou na Justiça ontem contra o governador Beto Richa (PSDB) por supostamente divulgar informações falsas em propagandas. O tucano teria mentido ao afirmar que contratou 10 mil policiais no mandato passado. Na verdade, teriam sido feitas 7.033 contratações.

Há cerca de um mês, a base aliada a Richa rejeitou requerimento que solicitava ao governo o número de policiais civis e militares contratados e aposentados entre 2011 e 2014. No entanto, de posse dos dados da Secretaria de Segurança Pública (Sesp) via Lei de Acesso à Informação, o líder do PMDB, Nereu Moura, afirmou que foram contratados 1.888 policiais civis e 5.145 militares nos últimos quatro anos. Ao mesmo tempo, 3.594 homens deixaram as corporações. Portanto, o efetivo policial teria saltado de 22.446 pra 25.885 – aumento de 3.439 homens.

Com base nos números, a oposição alega que Richa descumpriu os princípios da moralidade e legalidade previstos na Constituição e, também, a garantia de autenticidade das informações públicas estabelecida pela Lei de Acesso à Informação. Dessa forma, o tucano teria cometido ato de improbidade administrativa.

Na ação, a oposição pede ressarcimento da verba aplicada nas propagandas que trataram da contratação de policiais.

A Sesp defende, por outro lado, que o concurso público aberto no primeiro mandato de Richa, previa a contratação de 10 mil homens. Desses, 7 mil já foram nomeados, e o restante será convocado nos próximos meses. O atraso, segundo a pasta, se deveu a questões burocráticas já superadas.

Paraná Online no Facebook