Foto: Ciciro Back

Rangel: governador impôs censura ainda maior ao tirar TVE do ar na segunda-feira.

Os deputados de oposição voltaram a se manifestar contra a postura do governador Roberto Requião. Sem entrar no mérito da decisão do desembargador Edgard Lippmann, o presidente da Comissão de Comunicação da Assembléia Legislativa do Paraná, deputado Marcelo Rangel (PPS), acusou ontem o governador de impor aos paranaenes uma censura maior do que a que ele diz estar sofrendo ao tirar a programação da TVE do ar na última terça-feira.

?Se ele reclama que não tem liberdade de expressão, sentenciou com o fechamento da emissora o telespectador da TV Educativa a uma censura ainda mais rigorosa da qual se diz vítima. Os cidadãos não têm nada a ver com o desenlace político que se transformou a disputa entre Ministério Público e o governador do Paraná?, frisou Rangel.

O deputado Fernando Carli Filho (PSB) definiu como atitude reprovável a desmoralização pública que Requião faz ao desembargador. O deputado acredita que há um choque entre os poderes, um desrespeito à supremacia institucional e ao povo paranaense, que no final do episódio, será o maior prejudicado. De acordo com o parlamentar, a TV Educativa é um patrimônio público usado de maneira indevida, de forma parcial e tendenciosa pelo governador.

?Recusar a decisão do Poder Judiciário é questionar a capacidade de decisão profissional, ética e moral dos nossos magistrados. Ao desmoralizar o desembargador Edgard Lippmann, Requião desconstitui o princípio básico da democracia, a qual se estabelece pela harmonia entre os três poderes, idéia há muito tempo esquecida pelo governador. A decisão do desembargador foi muito bem fundamentada, seguindo os preceitos constitucionais e jurídicos da nossa legislação?, afirmou o deputado.

Para o parlamentar, a Escola de Governo é um instrumento de promoção pessoal do governador, usado para difundir apenas seu ponto de vista e atacar seus desafetos. ?O governador extrapola os limites legais que fundamentam uma TV estatal, deturpando a sua real finalidade que é difundir o conhecimento. A TV Educativa é um patrimônio público e não particular de uso e de interesse próprio?, disse.

A oposição lembrou, ainda, que o desembargador Lippmann já foi muito elogiado por Requião ao proferir sentença que suspendeu o leilão da Copel, e que a atuação do desembargador mereceu inclusive sua indicação para receber o título de cidadão benemérito do Paraná, proposto pelo deputado Nereu Moura, que é do PMDB, partido do governador.