"A Prefeitura de Sertanópolis, na região Norte do Estado, vem promovendo perseguição política contra funcionários de carreira e prestadores de serviços da cidade." Atualmente é comandada pelo prefeito Carlos Luiz Oporto Castro (PMDB). "Cerca de 15 funcionários estão impedidos de trabalhar, devendo permanecer em suas respectivas residências até serem chamados por algum secretário municipal ou chefe de departamento."

A denúncia é do vereador Sérgio Eduardo Reis (PP), que integra a bancada de oposição do município, que conta com três dos nove vereadores da cidade, "esses funcionários manifestaram sua ideologia partidária no pleito municipal, em outubro passado, quando o candidato apoiado pela ex-administração foi derrotado nas urnas. No entanto, desde o início do ano, eles estão impedidos de trabalhar, alguns, inclusive, já se apresentaram várias vezes para trabalhar, mas não são atendidos", afirmou. A Prefeitura, até dezembro de 2004, era comandada por Reinaldo Ramos Reis (PSDB).

"Esses funcionários continuam recebendo seus salários normalmente, o que acaba lesando os cofres públicos, já que eles poderiam estar prestando atendimento a população. Isso vai contra a Lei de Responsabilidade Fiscal. Todos os servidores já manifestaram sua intenção em prosseguir no trabalho, inclusive aceitando o remanejamento para outros setores, mas até agora a Prefeitura não se pronunciou sobre o assunto", ressaltou Reis.

"Estamos preocupados com a situação desses servidores, com a humilhação que estão sofrendo. Acredito que até pela formação do prefeito, que vem da área médica, seja possível encontrar um solução ética e rápida para o caso", acrescentou o vereador.