O senador Osmar Dias está criando um conselho político para contribuir na discussão dos rumos do PDT estadual para a sucessão de 2010. Osmar se reuniu ontem com prefeitos do partido, convidados a integrar o grupo.

No dia 24 de abril, Osmar realiza o primeiro encontro estadual do PDT, em Foz do Iguaçu, onde irá apresentar o formato do programa de governo que vai levar à discussão interna em 25 reuniões regionais.

O 1.º vice-presidente estadual do PDT, deputado Augustinho Zucchi, disse que a vitória de Barbosa Neto em Londrina funcionou como estímulo para a candidatura de Osmar: “Essa eleição fortalece muito o PDT e a candidatura do Osmar”.

Para o presidente estadual do PP, deputado federal Ricardo Barros, a vitória em Londrina confirma a condição de Osmar como o único nome com potencial para dar palanque forte no estado a candidatura da ministra Dilma Rousseff (PT) à sucessão de Lula.

Barros disse que a aliança com o PT seria a opção de Osmar caso os tucanos tentem adiar a definição sobre o nome do grupo ao governo. “Se o PSDB continuar insistindo na candidatura própria ou o Osmar desiste ou fecha aliança com o PT. Não vejo gesto tucano na direção da conciliação. A conversa não está clara e quando é assim, não é útil. Não tem bobo em política”, disse o líder do PP, partido que apoiou Barbosa Neto em Londrina.

Para Barros, a decisão está com o prefeito de Curitiba, Beto Richa (PSDB). “Tudo depende dele. Ele teria que declarar apoio ao Osmar”, disse. Para o presidente estadual do PSDB, a derrota em Londrina não altera as relações com o PDT. “Ganhou um candidato do grupo”, afirmou. Rossoni telefonou ao senador para cumprimentá-lo pela vitória do PDT.