O candidato do PT ao governo de São Paulo, Alexandre Padilha, afirmou nesta terça-feira, 15, que o afastamento do deputado petista Luiz Moura é um caso “superado”. “Esse tema já chegou ao fim. O PT definiu na sua convenção nossa composição e também tomou uma decisão clara sobre isso. A Justiça inclusive já reconheceu essa decisão. Isso para nós é um tema absolutamente superado”, afirmou, após participar de debate com empresários na capital paulista.

Segundo Padilha, o PT mostrou “que foi rápido, firme e implacável com qualquer tipo de irregularidade”. “Muito diferente de outros partidos que viram ao longo dos 20 anos a principal facção criminosa do País crescer aqui no Estado”, completou, sem citar nominalmente o seu adversário e candidato à reeleição Geraldo Alckmin, cujo partido, o PSDB, governa São Paulo há duas décadas.

O deputado petista Luiz Moura afirmou que vai registrar sua candidatura mesmo sem o aval do partido. Ele foi acusado de ter ligações com a facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), chegou a ser suspenso do partido, não participou da convenção, mas conseguiu anular sua punição na Justiça.