Em pelo menos vinte cidades do Paraná, os registros do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) mostram que a eleição terá caráter plebiscitário.

Nestes municípios, existe apenas um candidato a prefeito, sem adversários diretos pela frente. A situação é privilegiada, mas nem por isso, a falta de um palanque adversário é garantia de vida fácil na campanha.

É o que garante o atual prefeito de Douradina, José Carlos Pedroso (PMDB). “Tem que pedir votos da mesma forma. Tenho que distribuir meus santinhos. É como se tivesse um adversário”, disse Pedroso. Ele é candidato único à reeleição, apoiado por uma coligação que juntou o PMDB, PDT, PTB e PP.

Mesmo sem concorrentes, esses candidatos têm que fazer 50% mais um dos votos da cidade. “Às vezes é até mais difícil”, observou a presidente do PMDB de Douradina, vereadora Ivone Toenhi de Souza, que está ajudando a organizar a campanha de Pedroso.

Ivone citou que os demais partidos organizados na cidade – o PSDB, PT, DEM e PV -não lançaram candidato a prefeito, mas montaram uma chapa de candidatos a vereador que fazem o contraponto da campanha de Pedroso. Embora não ataquem diretamente o candidato único, os vereadores também não pedem votos para ele, explicou a presidente.

Mas o prefeito acha que se não falar mal dele já está de bom tamanho. “Eles são todos meus amigos. A campanha está mais tranqüila”, avaliou Pedroso, que também citou um efeito importante da candidatura única: a campanha fica mais barata.

Unanimidade

Mais tranqüilos estão os candidatos a prefeito de Paraíso do Norte, Carlos Alberto Vizzoto (PT), e de Bom Jesus do Sul, Paulo Deola (PDT). Os dois conseguiram montar uma aliança que reúne todas as forças políticas locais. Atual vice-prefeito, Vizzoto tem o apoio do PMDB, PSB, PSDB, DEM e PTB e do PR, que indicou a candidata a vice-prefeita, professora Eledir.

Os sete partidos fizeram três coligações para a Câmara e todas as três chapas pedem votos para Vizzoto. “Esse entendimento foi construído ao longo dos quatro anos. O que facilitou muito foi o atendimento que tivemos do governo federal, que mandou muitos recursos para cá. Todos os partidos reconheceram que seria bom para a cidade continuar juntos”, disse o petista.

Mesmo com tudo a favor, Vizzoto ainda resiste a se considerar eleito. “Eu trabalho como se tivesse oposição porque depois que o Fernando Henrique se sentou na cadeira do Jânio Quadros antes da eleição, já achando que estava eleito e levou bomba, é melhor a gente ser prudente”, ponderou.

O pedetista Deola também não baixa a guarda. Deola, atual prefeito, tem no seu palanque DEM, PSDB, PT, PP, PTB, PSC, PSB, PR e PMDB. Mesmo assim, acha que não é possível dispensar o corpo a corpo com o eleitor.

“Aqui, em todas as campanhas, a gente visita as famílias e pede voto. Desta vez, vai ser do mesmo jeito. Essa candidatura única foi resultado de um entendimento político, mas a população também tem que aprovar”, explicou.

Em Bom Jesus do Sul, a composição de todas as forças políticas locais já é antiga, disse o prefeito pedetista. “Esse apoio não é de agora. Vem desde o primeiro dia da minha gestão porque a administração não trabalha para um partido só, mas para toda a cidade”, justifica.

Na Câmara Municipal, são doze vereadores. Quatro eram de oposição. Agora, na campanha deste ano, todos estão do mesmo lado, pedindo votos para o pedetista.

Na lista fornecida pelo TRE, também aparecem as seguintes cidades e candidatos únicos: Arapuã – Deodato Matias (PMDB), Cafeara – Mário Aparecido Bega (PMDB), Carlópolis – Lázaro Alves – (PV) , Congoinhas – Osmar Bueno de Melo Filho (DEM), Cruz Machado, Elclides Bibi Pasa (PDT), Inajá – Nilson Camargo Monteiro (PMDB), Itaúna do Sul – Tomas Antonio Bajo Polo (PTB), Jardim Olinda – Fernando Jorge Siroti (PMDB), Loanda – Álvaro de Freitas (PR), Miraselva – João Marcos Ferrer – (PTB), Nova Esperança do Sudoeste – Norberto Goedert (PMDB,), Paula Freitas – Paulo Henrique Mattos de Almeida ( PTB), Prado Ferreira – Dirceu da Silva Alves (PMDB), Quinta do Sol – Antônio Roberto de Assis ( PPS), Salto do Lontra – Luiz Carlos Gotardi (PMDB), Três Barras do Paraná – Gerso Francisco Gusso ( DEM), Tupãssi – José Carlos Mariussi – (DEM) e Uraí – Donizete Ruiz Pinha – (PSB).