Foto: Arquivo
Beto: cobrado pelo PDT.

O PDT começou a conversar oficialmente com o prefeito Beto Richa (PSDB) sobre as eleições municipais do próximo ano. Em encontro entre o senador Osmar Dias, presidente estadual do PDT, e o prefeito de Curitiba, Beto Richa (PSDB), realizado no início da semana, junto com os vereadores, o PDT deixou claro que não abdica de participar da definição do candidato a vice-prefeito e que não irá admitir que o PSDB tente filiar seus vereadores.

Como Beto acha que ainda é muito cedo para firmar compromissos, a conversa não avançou. Mas o senador Osmar Dias acha que está na hora de começar a alinhavar as composições e, além de tratar da formação da chapa de candidatos a vereador para 2008, disse ao prefeito que o acordo para o próximo ano deve ter a lealdade como um dos fundamentos. Os pedetistas não perdoam o vice-prefeito Luciano Ducci (PSB) pela abstenção no segundo turno da eleição do ano passado para o governo do Estado. ?Não faço política com rancor e desejo de vingança. Mas nós queremos, no mínimo, discutir a vice. E queremos um compromisso sério que possa ser cumprido por todos. E a lealdade é uma necessidade para o relacionamento político?, disse Osmar.

Para o senador, o passado somente pode ser esquecido se houver compromissos que sejam honrados em 2008 e 2010. ?Precisamos saber se o vice será um aliado ou um adversário em 2010?, comentou Osmar. A cobrança do PDT por uma definição está relacionada à organização do partido para as eleições do próximo ano. O partido está filiando lideranças e possíveis candidatos em todo o Estado e o prazo para concluir esse processo termina em setembro, conforme estabelece a legislação eleitoral. ?Para filiar, precisamos saber com quem vamos estar na disputa?, disse.

A eleição na capital não é a única a entrar na pauta das conversas entre o pedetista e o prefeito tucano. Em outras cidades, o PDT também quer saber como serão suas relações com o PSDB. Um dos focos de tensão está em Foz do Iguaçu, onde os tucanos fazem oposição ao prefeito Paulo Mac Donald Ghisi (PDT), que já se queixou a Osmar.