O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cezar Peluso, negou-se a comentar a decisão do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, de arquivar as representações contra o ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci.

Ao deixar uma audiência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, Peluso disse que não cabe a ele fazer juízo de valor sobre o parecer do procurador-geral. “Não faço nenhuma avaliação, porque não sou revisor das decisões dele. Eu não me meto em política”, afirmou.

Caso encontrasse indícios de crimes cometidos por Palocci, a Procuradoria-Geral da República (PGR) poderia abrir uma investigação contra o ministro no Supremo. Com o arquivamento das representações de oposicionistas, Palocci será investigado apenas por improbidade na Procuradoria da República no Distrito Federal.