O governador em exercício Orlando Pessuti anunciou nesta terça-feira (28) que vai a Brasília na próxima semana para discutir com ministros, deputados federais e senadores paranaenses emendas no orçamento do governo federal para 2009. “Vamos tratar da questão da inclusão do Paraná, das nossas secretarias, empresas e institutos nas verbas federais”, destacou durante a reunião semanal da Escola de Governo.

A viagem está programada para as próximas terça (4) e quarta-feira (5). Pessuti afirmou que levará as sugestões de secretários, presidentes e diretores-gerais de órgãos estaduais para debate com as autoridades que representam o Estado em Brasília. “No início da próxima semana vamos preparar a agenda daqueles que vão à capital federal para discutir conosco o orçamento do governo federal para 2009”, acrescentou.

Propostas

O secretário do Planejamento e Coordenação Geral, Ênio Verri, que vai acompanhar o governador em exercício na viagem, explicou que entre as propostas que serão levadas à bancada federal paranaense estão seis grandes pontos que atingem todo o Paraná e que já foram apresentados aos deputados e senadores no início do ano, quando da preparação da Lei de Diretrizes Orçamentárias, além de outras propostas nas áreas de Ciência e Tecnologia, Educação, em especial na questão de cursos profissionalizantes, na infra-estrutura e na pavimentação das rodovias.

As seis propostas são as seguintes: investimento do PAC (Plano de Aceleração do Crescimento) na Usina de Mauá, na Estrada Boiadeira, que na opinião do secretário é de suma importância para a região de Campo Mourão; recursos para o Hospital Geral de Toledo; investimentos que ultrapassam R$ 100 milhões no Porto de Paranaguá, além de uma pauta que envolve todo o Noroeste do Estado, no controle dos processos erosivos e que precisam de investimentos superiores a R$ 5 milhões.

“Além disso, já está no PAC, mas nós vamos cobrar, o projeto que está sendo preparado para dar condições para Curitiba e Região Metropolitana receber a Copa do Mundo de 2014, o chamado PAC Mobilidade, que já foi apresentado ao Ministério das Cidades, investimento que ultrapassa R$ 400 milhões”, salientou o secretário Ênio Verri.