Em retaliação à convocação do diretor-presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, o deputado Jorge Solla (PT-BA) protocolou nesta quarta, 17, na CPI da Petrobras, os pedidos de convocação e quebras dos sigilos fiscal, bancário e telefônico de Sérgio Fausto, superintendente executivo do Instituto FHC.

“O presidente do Instituto Lula (Paulo Okamotto) foi convocado porque a entidade recebeu doação da Camargo Corrêa. Se isso é critério para ser investigado na CPI, então que venha o Fausto: o IFHC recebeu da Camargo Correia em 2011, recebeu em 2002, recebeu até da Sabesp, uma empresa pública controlada pelo governo do PSDB de São Paulo”, disse Solla por meio de nota.

O petista acusa a comissão de agir parcialmente contra o PT. Nessa terça, 16, ele reapresentou requerimentos de convocação e quebra de sigilo do executivo Pietro Bianchi, da Camargo Corrêa, que foram rejeitados pelo presidente da CPI, Hugo Motta (PMDB-PB). O peemedebista considerou que não tinham ligação com as investigações da Operação Lava Jato. Solla argumenta que o executivo era o “principal responsável por organizar o repasse de propina da empreiteira a políticos” na construtora.

A bancada do PT ensaiou nessa terça, 16, uma reação à convocação de Okamotto após bronca do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na última semana. O partido anunciou que apresentará recurso no plenário contra a aprovação em bloco de 140 requerimentos, entre eles o que envolve o diretor-presidente do Instituto Lula.