Foto: Arquivo/O Estado

Rosenmann: nome para os Transportes, na cota do PMDB.

A participação do PT no governo Requião foi fechada ontem, com o partido assumindo quatro secretarias e a Celepar. Além da definição dos petistas no secretariado, fontes do Palácio Iguaçu informaram que o nome do deputado federal reeleito Max Rosenmann (PMDB) estaria certo para assumir a Secretaria Estadual de Transportes. A definição teria ocorrido depois de um almoço com o governador Roberto Requião (PMDB). Rosenmann, porém, prudentemente não confirmou o convite.  

Segundo o presidente estadual do PT, André Vargas, em conversa com o governador ontem à tarde ficou definido que: Valter Bianchini assume a pasta da Agricultura e Abastecimento; Ênio Veri fica no Planejamento; Lygia Puppato permanece na Ciência e Tecnologia; e Marcos Mazoni continua na diretoria da Celepar. Vargas disse que somente está em aberto o cargo de secretário do Trabalho, para o qual foi convidado.

Porém, o deputado disse que vai consultar lideranças partidárias e apresentará uma resposta na segunda-feira à tarde. Se Vargas aceitar o convite, abre-se uma vaga na Câmara dos Deputados para o primeiro suplente da coligação, Dilto Vitorassi (PT). Segundo Vargas, há a possibilidade também de que Irineu Colombo venha a assumir a Secretaria Especial de Representação do Paraná em Brasília.

Segundo Rosenmann, no almoço que fez com o governador não houve conversas a respeito da composição do secretariado, mas em outras ocasiões Requião já havia lhe feito um convite genérico para assumir uma pasta. Rosenmann entende que se aceitar assumir uma secretaria, isso só vai ocorrer em meados de fevereiro, depois que cumprir alguns compromissos parlamentares.

Segundo Rosenmann, como começa uma nova legislatura na Câmara dos Deputados, ele precisa apresentar requerimentos pedindo que projetos de lei, que estavam tramitando no mandato passado, continuem do ponto em que estavam, sem precisar passar novamente pelas comissões em que foram aprovados. Se o deputado assumir uma secretaria, a sua vaga na Câmara será ocupada pelo primeiro suplente, Marcelo Almeida (PMDB).

Embora a saída de Luiz Caron da Secretaria de Obras não esteja confirmada, cogita-se que ele seja convidado para assumir uma secretaria especial, ainda não definida. Caron disse que Requião nada lhe disse a esse respeito. Especula-se que a pasta de Obras seria oferecida ao PSDB.

Mensagens

O Palácio Iguaçu informou ontem que deve encaminhar para votação no período de convocação extraordinária da Assembléia Legislativa, que começa na próxima segunda-feira, uma mensagem que cria três coordenadorias de regiões metropolitanas para Londrina, Maringá e Cascavel e a extinção de três órgãos da administração indireta, que serão incorporados pelas secretarias às quais estão vinculados. Segundo o governo estadual, a criação das coordenadorias atende reivindicações dos municípios, que representam os maiores pólos do interior do Estado. Estão inclusas ainda na mensagem, a criação de duas secretarias especiais.

De acordo com o Palácio Iguaçu, a mensagem faz parte de uma seqüência de mudanças administrativas iniciadas em fins de dezembro, quando o governador Roberto Requião sancionou lei que cria a Secretaria de Estado da Criança.

Pela proposta, o governo extingue o Instituto de Desenvolvimento Educacional do Paraná (Fundepar), que vai ser incorporado pela Secretaria da Educação, o Instituto de Saúde do Paraná (Isep), a ser incorporado pela Secretaria de Saúde, e o Departamento Estadual de Construção, Obras e Manutenção (Decom) , que fará parte da Secretaria de Obras.