A senadora Ângela Portela (PT-RR) e a deputada federal Janete Rocha Pietá (PT-SP) – mulher do secretário-geral do PT, Elói Pietá – divulgaram hoje uma nota oficial em que repudiam as declarações do ex-ministro da Defesa Nelson Jobim sobre as ministras de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, e da Casa Civil, Gleisi Hoffmann. Em entrevista à revista Piauí, Jobim afirmou que Ideli “é fraquinha” e criticou Gleisi, dizendo que ela “não conhece Brasília”.

As petistas afirmam que o ex-ministro atacou Gleisi e Ideli “de forma machista e preconceituosa”. Elas consideram um agravante o momento dos ataques, coincidindo com o aniversário de cinco anos da Lei Maria da Penha. “Classificar as ministras como incompetentes e incapazes pode ser caracterizado como violência psicológica e moral”, advertem as petistas, caso Jobim fosse enquadrado na lei.

Elas concluem exigindo respeito às mulheres. Ângela assina o documento como presidente da subcomissão em Defesa da Mulher do Senado e Janete como coordenadora da bancada feminina no Congresso.

“Queremos expressar nosso repúdio pela violência de um ministro que sempre desfrutou de todo o respeito e consideração das bancadas femininas na Câmara e no Senado Federal e que, pelo ataque verbal desnecessário poderá criar um clima conflituoso que em nada contribuirá para a construção da Democracia Brasileira”, diz a nota.