O secretário estadual da Comunicação, Airton Pissetti, rebateu ontem as críticas do deputado Plauto Miró Guimarães quanto à participação do governo no Tribunal Internacional Popular sobre Transgênicos, ocorrido em março, em Porto Alegre. Segundo o secretário, os gastos feitos pelo governo no evento fazem parte de uma política de comunicação adotada pelo Estado para divulgar a qualidade da soja pura paranaense. A medida segue postura adotada pelo governador Roberto Requião.

Pissetti disse que a crítica de Plauto é infundada. “A postura do deputado reflete a ignorância das políticas de mercado e de comunicação. O que fizemos foi divulgar a nossa soja pura, defendendo o nosso agricultor e a nossa economia”, disse o secretário.Pissetti afirmou que a campanha realizada em Porto Alegre é uma entre as várias que o governo vem desenvolvendo. “Divulgando a nossa soja pura, estamos defendendo o Paraná e a sua economia. Bem diferente das ações do deputado Plauto, que deveria explicar, por exemplo, por que defendeu a venda da Copel, por que ajudou a entregar o controle da Sanepar a empresas privadas, por que ajudou a criar o perverso pedágio nas estradas do Estado e por que ajudou a quebrar o Banestado. Como parlamentar, ele poderia ter votado contra todos esses desmandos do governo anterior. Mas, bem ao contrário, não o fez”, atacou. O secretário também contestou o que classificou de “hipocrisia” dos críticos do governo. “Vários eventos como esse poderiam ser pagos só com os fabulosos recursos que o deputado recebeu do governo anterior para a Rádio Clube AM, de sua propriedade, em Ponta Grossa. E o que esse dinheiro gasto com a emissora do deputado, e também com as emissoras do seu cunhado, o deputado de Guarapuava, Fernando Ribas Carli, trouxe de benefício ao Paraná?”, disse.

Encontro

No Tribunal Internacional Popular sobre Transgênicos, o governador Roberto Requião foi representado por Pissetti. Foi organizado um julgamento da soja transgênica e o governador fazia parte das testemunhas de acusação. “O governador enviou seu testemunho através de uma fita de vídeo, já que não pode comparecer pessoalmente. O resultado foi unânime contra a produção de soja transgênica”, lembrou Pissetti.

A manifestação de Requião foi aplaudida por mais de três mil pessoas e as entidades promotoras e diversos movimentos de agricultores apontaram o governador como o grande defensor da causa no Brasil.

Para reforçar esta posição, uma equipe do Paraná distribuiu camisetas e bonés com a logomarca da “Soja Pura” e material impresso com a posição oficial do governo. O Tribunal foi presidido pelo juiz José Felipe Ledur, do TRT (Tribunal Regional do Trabalho) de Porto Alegre, e envolveu mais de quarenta entidades não governamentais e do meio jurídico.

Apesar de notificadas sobre o julgamento, a Monsanto, detentora da tecnologia da soja Roundup Ready, e a Farsul, entidade que congrega agricultores no Rio Grande do Sul, não compareceram nem enviaram sua defesa ao Tribunal.