O líder do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lima (PB), afirmou nesta terça, 18, na saída da reunião de líderes partidários, que a Casa deve votar ainda hoje em Plenário o texto do projeto que acaba com a política de desonerações da folha “como veio da Câmara”. Isso permitiria que o texto, assim que aprovado, siga diretamente para sanção da presidente Dilma Rousseff.

Uma das possibilidades, como antecipou o Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado, na última semana, é que haja uma emenda de redação em plenário, a fim de isolar as alterações propostas pelos deputados. Isso facilitaria Dilma vetar as exceções instituídas pela Câmara, preservando a essência do texto.

O líder do PMDB no senado e relator do projeto, Eunício Oliveira (CE), já avisou que vai manter o texto aprovado pelos deputados antes do recesso parlamentar. Nomes da oposição, entretanto, anunciaram que devem se posicionar contrários à aprovação. Não houve consenso no pedido de entidades, como da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), de fazer uma reoneração linear. O projeto das desonerações é a última medida do ajuste fiscal proposto pelo governo dentro das medidas do ajuste fiscal.