O Plenário do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) decidiu na tarde desta terça-feira, por unanimidade, que foi inteiramente legal o pleito que elegeu o desembargador Miguel Kfouri Neto presidente do Tribunal de Justiça do Paraná.

A sessão do CNJ analisou pedido da artista plástica Regina Girardelo para que a eleição de Kfouri fosse considerada ilegal, pois não teria sido respeitada a ordem de antiguidade entre os desembargadores.

O relator Jefferson Kravchychyn se manifestou pela legalidade da eleição e foi acompanhado pelo presidente do CNJ, ministro Cesar Peluso.