A direção estadual do PMDB está tentando enquadrar o diretório municipal de Curitiba, que se adiantou na discussão sobre nomes para a disputa à prefeitura nas eleições do próximo ano.

Em reunião ontem, a executiva estadual fechou posição defendendo candidaturas próprias do partido em todos os municípios e desautorizou articulações para definição de candidaturas e alianças neste período. O encontro foi comandado pelo presidente estadual do partido, Gustavo Fruet, um dos nomes que postulam a indicação para disputar a prefeitura da capital.

A posição da executiva foi tomada em reunião da qual participaram o vice-governador Orlando Pessuti; o secretário do Desenvolvimento Urbano, Renato Adur; além de deputados estaduais e federais. “O PMDB tem opiniões divergentes, mas esta discussão está fora da agenda. Cada um pode até pensar em apoiar o candidato do PT em Curitiba, mas não pode agir nem expressar isso. Fazer isso é jogar contra o patrimônio do partido. O governador Roberto Requião acha que é hora de fortalecer o PMDB. Arriar a bandeira é fora de hora”, afirmou o deputado estadual Nereu Moura.

De acordo com o deputado, a posição de dirigentes do PMDB de Curitiba e secretários de Estado defendendo o apoio do partido à candidatura do deputado estadual Angelo Vanhoni (PT) revoltou a militância do partido no Estado inteiro. “O PMDB tem que se preparar para lançar candidato próprio. Em uma cidade ou outra, até pode abrir mão, mas esta discussão é despropositada agora. O diretório municipal tem que se submeter ao estadual”, disse.

Obediência

A executiva estadual divulgou uma nota à tarde informando que todas as decisões referentes ao partido e ao processo eleitoral serão tomadas pela executiva estadual do partido, pelos deputados federais e estaduais e pelo governador Roberto Requião. A nota não faz referência direta ao PT e Vanhoni, mas cita que serão respeitadas a governabilidade e as alianças estabelecidas no segundo turno nas eleições do ano passado.

A executiva estadual do PMDB volta a se reunir com os deputados estaduais e federais no dia 13 de junho. O objetivo é fazer uma análise da situação do PMDB nos municípios, dando início ao período de definições em relação a 2004, destinando os meses de julho, agosto e setembro para filiações. Nos dias l4 e 15 de junho, o partido realiza em Matinhos um encontro regional.

Dirigente se reúne com PT

Enquanto a executiva estadual se reunia na sede do diretório em Curitiba, o presidente do diretório municipal, Doático Santos, comandava um grupo de peemedebistas num primeiro encontro com dirigentes e lideranças do PT em um hotel da cidade. Os dois partidos conversaram sobre a formulação de um projeto comum para a disputa da prefeitura da capital no próximo ano.

Desta vez, segundo Doático, não se falou em nomes, mas apenas da necessidade de “aperfeiçoar” a aliança com o PT, que começou no segundo turno da eleição do ano passado. Pelo PMDB, além de Doático, participaram os secretários de Habitação, Luiz Claudio Romanelli; de Educação, Maurício Requião; da Saúde, Claudio Xavier; da Comunicação, Airton Pisseti; da Ciência e Tecnologia, Aldair Rizzi, e de Assuntos Estratégicos, Nizan Pereira.

O PT foi representado pelo presidente do partido em Curitiba, Roberto Salomão, pelo deputado estadual Natálio Stica e pelos vereadores André Passos, Adenival Gomes, Pedro Paulo, Paulinho Lamarca e Nilton Brandão e ainda pelo vice-presidente estadual do partido, Márcio Pessati.

O presidente do diretório municipal disse que a posição da executiva estadual está de acordo com a ação da executiva municipal.