A Polícia Federal deflagrou na manhã desta segunda-feira, 22, a 23ª fase da Operação Lava Jato. Os policiais estão em São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador para cumprir mandados. A operação tem relação com o avanço das investigações de registros apreendidos com um dos investigados.

Cerca de 300 Policiais Federais cumprem 51 mandados judiciais, sendo 38 de busca e apreensão, 02 de prisão preventiva, 06 de prisão temporária e 05 de condução coercitiva.

Há uma equipe fazendo busca e apreensão no apartamento do publicitário João Santana, no Corredor da Vitória, bairro nobre em Salvador. João foi o marqueteiro responsável pelas campanhas presidenciais de Lula (2006) e Dilma Rousseff (2010 e 2014).

Os mandados são cumpridos nos estados da Bahia (Salvador e Camaçari), Rio de Janeiro (Rio de Janeiro, Angra dos Reis, Petrópolis e Mangaratiba) e São Paulo (São Paulo, Campinas e Poá).

O foco das investigações desta fase é o cumprimento de medidas cautelares, a partir de representação da autoridade policial, relacionadas a três grupos: um grupo empresarial responsável por pagamento de vantagens ilícitas; um operador de propina no âmbito da PETROBRÁS; e um grupo recebedor, cuja participação fora confirmada com o recebimento de valores já identificados no exterior em valores que ultrapassam 7 milhões de dólares.

Os presos serão trazidos para a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba/PR onde permanecerão à disposição do juízo da 13ª Vara da Justiça Federal.

A 23ª Fase da Operação Lava Jato foi denominada Acarajé em alusão ao termo utilizado por alguns investigados para nominar dinheiro em espécie.

A operação Lava Jato foi deflagrada em março de 2014 mirando um grupo de doleiros, entre eles Alberto Youssef que delatou o esquema de corrupção na petroleira.