O interesse pessoal se sobrepõe ao público. Essa é a lógica que rege as solicitações feitas pela população aos vereadores: cada um pede o que possa resolver o seu problema particular. O resultado é que, quando os parlamentares priorizam essas demandas, confundem o povo sobre as reais tarefas da Câmara Municipal, o que colabora pra permanente insatisfação da população sobre sua atuação.

A culpa, no fim das contas, está dos dois lados. Isso porque, embora sejam eleitos pra legislar em favor do bem da maioria, os 38 parlamentares da Câmara de Curitiba recebem uma alta demanda de pedidos que visam a interesses individuais. Não abrem mão de atendê-los, sob o risco de parecer ineficientes. São desde pedidos de emprego até pra retirar sofá do meio da rua.

Têm, claro, as demandas de interesse do bairro: consertar iluminação, via pública, sinalização, fechar bueiro, remover carro abandonado, mais segurança. Mas poucas vezes os vereadores são interpelados pra suas funções principais: fiscalizar o prefeito, cuidar das contas públicas e elaborar leis.

“As pessoas fazem isso porque veem no vereador um contato próximo com o poder público. Usamos de um prestígio pra resolver o que, de repente, o cidadão não viu resolvido antes. Não acredito que essa prestação de serviços distraia o parlamentar de suas atribuições”, diz o vereador Pier Petruzziello (PTB) (foto).

Vicioso

O pesquisador do Observatório de Elites da UFPR, Luiz Domingos Costa, avalia que esse atendimento de pequenos serviços cria um círculo vicioso. “Os vereadores fazem o que dá resultado junto ao eleitor. Pensam a curto prazo: os serviços públicos se mantém aquém do que o eleitor espera, e a Câmara vai ser sempre vista aquém do que se espera”.

Vereador Chicarelli (direita) e Luiz Bortolozzo: tapa-buraco.

Monte de pedidos

Neste ano, 9.160 requerimentos foram encaminhados ao prefeito. O número, em seis meses, supera os 7.023 pedidos em 2014. Essas solicitações são pra melhorias em serviços públicos e boa parte deles são encaminhamentos de pedidos da população. A maioria acaba arquivada; o restante é reencaminhada aos setores responsáveis.

Muitos vereadores têm na rotina horários pra ir até os bairros ouvir as solicitações do eleitorado. “As pessoas querem essa resposta do Executivo, pra um buraco, pro alagamento, atendimento da saúde. Auxiliamos nisso”, fala o vereador José Carlos Chicarelli (PSDC). A principal reivindicação que escuta nas três visitas semanais aos bairros é sobre os buracos nas ruas.

Mesmo com tanta demanda “acessória”, a Câmara segue com a pauta em dia, destaca o vereador Paulo Salamuni (PV)(foto). “Agora mesmo, fizemos toda a nova legislação sobre a Guarda Municipal.”