O 4.º Congresso Estadual do PPS, realizado ontem em Curitiba, reconduziu o atual presidente da legenda no Paraná, Rubens Bueno ao cargo. Bueno deverá ser o candidato do partido ao governo do Estado nas eleições do próximo ano. Ele afirmou reiteradamente que, embora ainda não haja acordo com nenhum partido, está em busca de alianças. ?Fizemos conversas preliminares, colocando nossas propostas a vários partidos de oposição ao governo, como o PSDB, PSB e o PFL?, afirmou.

Os três partidos citados também vêm realizando conversas com o PDT para uma possível aliança com o senador Osmar Dias. Com o plano de coligação ainda indefinido, em parte por causa da legislação sobre a verticalização, Bueno entende que é cedo para falar em nomes de candidatos para a vaga do Senado.

No encontro, o PPS paranaense fez uma moção para candidatura própria, indicando, além de Bueno para concorrer ao governo, o deputado federal Roberto Freire para a presidência da República. ?Rubens mostrou nas duas últimas eleições, que reúne as condições políticas e pessoais para liderar o partido?, diz o texto. O documento relembra também que o PPS disputou as eleições de 2002 com candidatos próprios para esses dois cargos. ?O partido está maduro para enfrentar o desafio das urnas, em 2006, com um quadro pertencente às suas fileiras?.

Segundo Bueno, a construção de uma aliança acontecerá com base num programa de governo, e não com base em pessoas. ?Nosso projeto nasce da democracia, não de iluminados?, disse. Bueno acredita que o seu partido tem uma tradição diferente do que chamou de velha política. ?A relação que queremos é institucional. Iremos diminuir a quantidade de cargos em comissão e valorizar servidores de carreira?.

Bueno quer uma aliança que possibilite, segundo ele, um novo ciclo administrativo em oposição ao governo atual. ?Pretendemos realizar um choque de gestão, por meio de políticas sociais, mudando o do Paraná, que é o mais atrasado estado do sul do Brasil. Em nosso projeto estamos olhando para uma nova geração?, disse.