O prefeito Alexandre Kireeff (PSD) assumiu hoje a administração de Londrina (PR) citando como prioridades o equilíbrio das contas públicas e o resgate da credibilidade política do Executivo.

Dos quatro prefeitos que assumiram o posto entre 2009 e 2012, dois foram presidentes da Câmara Municipal, um foi preso e outro, cassado.

A solenidade, prevista para 18h, começou com atraso de 35 minutos em razão da chegada de uma liminar judicial referente a posse de um suplente de vereador. Nas galerias, moradores levavam faixas com críticas à corrupção. Kireeff recebeu o cargo das mãos do prefeito interino Gerson Araújo (PSDB), vereador reeleito.

Segundo Araújo, o caixa municipal está com saldo positivo de R$ 35 milhões, conquistados de última hora graças a um programa que concedeu descontos ao pagamento de dívidas com o município.

Para a nova equipe de governo, uma dos problemas que surgiram durante a transição foi uma possível dívida de R$ 80 milhões da previdência municipal com a Receita Federal.

“Vamos propor um novo modelo de gestão que não coloque em risco nem a aposentadoria dos servidores e nem as contas públicas municipais porque isso comprometeria a cidade como um todo”, afirmou Kireeff.

Os 22 secretários e diretores de companhias e autarquias municipais, segundo o prefeito, deverão seguir as três orientações básicas do governo –“bom planejamento, eficiência e austeridade”– para gerenciar o orçamento anual de R$ 1,2 bilhão.

Entre os principais projetos da gestão anterior que deverão ter continuidade estão a construção do Teatro Municipal, obra estimada em R$ 40 milhões, e a busca por recursos para viabilizar a infraestrutura do bairro Vista Bela, uma “minicidade” criada pelo projeto Minha Casa, Minha Vida.

A relação que se dará entre o prefeito e o governo federal ainda é incerta. O prefeito iniciou contatos com a base aliada da presidente, mas mantém diálogo com o governador do Paraná, o tucano Beto Richa, nascido em Londrina e amigo de infância de Kireeff.

O novo prefeito foi presidente da Sociedade Rural do Paraná (entre 2006 e 2010), entidade de peso no segmento agropecuário brasileiro, e é um forte interlocutor da bancada ruralista no Congresso.

Herança

Londrina enfrentou turbulência política nos últimos anos. Antonio Belinati (PP) venceu as eleições de 2008, mas não assumiu o cargo porque teve o registro cassado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Enquanto uma nova eleição era realizada, assumiu interinamente o presidente da Câmara à época, José Roque Neto (PTB).

Homero Barbosa Neto (PDT), que assumiu a prefeitura em maio de 2009 depois de uma eleição realizada para suprir o vácuo de poder na cidade, foi investigado pelo Ministério Público e acabou cassado no final de julho de 2012 sob acusação de pagar o serviço de vigilância da rádio da família com dinheiro público.

O vice de Barbosa que assumiu a cidade, José Joaquim Ribeiro (sem partido), foi preso em 20 de setembro, sob acusação de ter recebido R$ 150 mil em propinas de empresários em duas licitações públicas.

No mesmo dia da prisão, Ribeiro renunciou e a administração ficou com Araújo, prefeito interino que repassou o cargo a Kireeff.