O Ministério Público do Paraná (MP-PR) ajuizou ação civil pública por atos de improbidade administrativa contra o atual prefeito Paranavaí (no noroeste do Estado), Rogério José Lorenzeti, o secretário municipal de Saúde, José Paranhos de Mesquita e outros quinze servidores, na maioria enfermeiros e médicos, pela prática de irregularidades na unidade do Pronto Atendimento Municipal, como pagamento de horas extras “frias”, contratação ilegal de pessoas e desvio de recursos.
O esquema teria sido criado no início de 2009 e perdurado pelo menos até junho de 2010.