Prefeitos de todas as regiões do Estado estarão reunidos hoje em Barracão para discutir a crise dos municípios do Paraná, o projeto de reforma tributária em tramitação no Congresso Nacional e o projeto que propõe a unificação das eleições em 2006. Barracão e os municípios de Dionísio Cerqueira, Planalto e Pérola do Oeste, além da cidade argentina de Bernardo Irigoyen, também estarão sediando amanhã as comemorações pelo centenário da demarcação da fronteira entre o Brasil e a Argentina.

Um dos pontos centrais dos debates em Barracão será a crise dos municípios. Os prefeitos vão discutir o desenvolvimento de ações comuns para tentar amenizar as perdas provocadas pela queda média de 36% do FPM (Fundo de Participação dos Municípios) ocorrida nos três últimos meses. O FPM é a principal fonte de receita de 80% das prefeituras do Paraná. Por causa da crise, todos os 26 municípios filiados à Amuvi (Associação dos Municípios do Vale do Ivaí) decidiram adotar moratória por 60 dias. Além disso, cerca de 150 municípios do Estado estão adotando regime de meio expediente de trabalho, para reduzir as despesas.

No caso da reforma tributária, os prefeitos vão debater alternativas para tentar aprovar projetos de interesse dos municípios no texto encaminhado pelo governo Luiz Inácio Lula da Silva ao Congresso Nacional.