São Paulo, 28 – A ministra-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Helena Chagas, emitiu uma nota de pesar pelo falecimento do jornalista Rodolfo Fernandes, diretor de redação do jornal O Globo.

“Com sua inteligência, seriedade e a busca constante pela notícia completa e bem apurada, Rodolfo Fernandes marcou época no jornalismo brasileiro à frente das mais importantes coberturas da história recente do País”, afirma a ministra, em comunicado. “Lamento sua partida tão precoce, mas tenho certeza de que ele deixa seu exemplo às novas gerações de jornalistas brasileiros.” Na nota, a ministra também se solidariza com a família e os companheiros do jornalista.

Fernandes morreu ontem, no Rio de Janeiro, aos 49 anos. Ele sofria de esclerose lateral amiotrófica (ELA), doença neurológica fatal que provoca lesões musculares progressivas. Apesar da gravidade da doença, que o acometia havia dois anos, o falecimento pegou de surpresa os parentes e os colegas do diário carioca. Ele havia trabalhado na redação até a quinta-feira passada.

Ao ser informado da morte do jornalista, o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), decretou luto oficial de três dias no Estado. De acordo com a assessoria de imprensa do governo, Cabral prometeu dar o nome de Rodolfo Fernandes a uma escola da rede estadual de ensino.

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), também lamentou o falecimento e fez elogios ao profissional. “Há uma década à frente de um dos principais jornais do País, Rodolfo Fernandes era sem dúvida um dos mais respeitados nomes da imprensa do Brasil. Transmito à sua família os meus pêsames e orações”.