O presidente da Odebrecht S/A, Marcelo Odebrecht, e o presidente da Andrade Gutierrez, Otávio Marques de Azevedo, foram transferidos para o Complexo Médico-Penal, em Pinhais, na manhã de sábado (25). Detidos na 14º fase da Operação Lava Jato, eles estavam presos na carceragem da Polícia Federal (PF), em Curitiba.

Além deles, os outros presos transferidos para Pinhais são os ex-diretores da Odebrecht Alexandrino de Alencar, César Ramos Rocha, Márcio Faria da Silva e Rogério Santos de Araújo; o ex-funcionário da Odebrecht João Antônio Bernardi Filho; e o executivo da Andrade Gutierrez Elton Negrão de Azevedo Júnior.

A transferência foi feita a pedido do delegado Igor Romário de Paula, que alegou dificuldade em manter os presos nas celas da PF.

Administrado pelo Departamento Penitenciário do Paraná (Depen), o Complexo Médico-Penal é voltado a manter presos que precisem de acompanhamento médico. Neste presídio, os oitos transferidos vão ficar separados dos outros presos. Outros detidos na Lava Jato também estão lá.