Três representantes do Ministério Público da Suíça participam na tarde desta terça-feira, 17 em Brasília de uma mesa redonda com procuradores brasileiros, incluindo integrantes dos grupos que investigam a Operação Lava Jato.

Devem participar do encontro o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, além de procuradores da área internacional da PGR, membros do grupo de trabalho que atua nos casos da Lava Jato em tramitação no Supremo Tribunal Federal (STF) e alguns integrantes da Força Tarefa que atua junto à Justiça Federal em Curitiba (PR).

A expectativa é de que o encontro sirva para tratar de assuntos técnicos de cooperação entre Brasil e Suíça no combate à corrupção e recuperação de ativos. Segundo fonte ligada ao Ministério Público, o Brasil tem interesse de discutir a cooperação não só no esquema de corrupção na Petrobras, mas também em outros casos, como a suspeita de cartel dos trens em São Paulo – caso Alstom.

Na quarta, 18, Janot terá uma reunião oficial com o procurador-geral da Suíça, Michael Lauber. A missão suíça a Brasília acontece menos de uma semana depois de o Ministério Público ter repatriado R$ 182 milhões que estavam depositados em contas do ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco no país europeu.

De acordo com a Procuradoria, o valor é o mais alto já recuperado pelo Brasil. A transferência foi autorizada pelo próprio Barusco, um dos delatores do esquema de corrupção na Petrobras, revelado pela Operação Lava Jato.