De acordo com a Polícia Militar, o protesto em Fortaleza reuniu 15 mil pessoas. Paulo Angelim, coordenador do Instituto Democracia e Ética, uma das entidades responsáveis pela organização, disse que rasgaria o diploma de arquiteto se no ponto mais alto da manifestação não tivessem 50 mil pessoas.

O deputado federal Jair Bolsonaro defendeu a cassação da presidente Dilma Rousseff e do vice Michel Temer. “O TSE tem que cassar a chapa e realizar novas eleições. Este é o caminho”, disse, sendo saudado pelos manifestantes como futuro presidente. “Eu não tenho nem partido ainda, mas estou disposto a enfrentar qualquer desafio pelo Brasil”, declarou ao ser questionado se era esse seu desejo. “Não merecemos o que o PT está fazendo conosco. Por isso as manifestações de hoje são justas e falam por si só”, comentou.

O político não discursou, mas seguiu da Praça Portugal até o Aterro da Praia de Iracema em carro de som junto com os organizadores do protesto. Às vésperas da manifestação, a organização fez questão de deixar claro que não havia convidado Bolsonaro para o evento. O parlamentar rebateu, dizendo que não precisava ser convidado para defender o País.

O ponto alto aconteceu ainda na Praça Portugal, quando o Hino Nacional foi cantado por um coral de 150 vozes formado pelo grupo Consciência Patriótica. O sanfoneiro Waldonis fez um sobrevoo com uma aeronave que formou um rastro de fumaça nas cores verde e amarela no céu.